Red Dead Redemption 2 chegou ao mercado e as espectativas eram muito altas, espectativas tão altas que poderiam não ser alcançadas.

Red Dead Redemption 2 é o primeiro trabalho feito depois do grandioso GTA V, ou seja, já não lançavam nenhum jogo novo a 5 anos. O jogo Red Dead Redemption 2 levou 8 anos a ser produzido e posso desde já dizer que foram 8 anos que acabaram numa aventura incrível pelo velho Oeste.

Este novo título da RockStars envontra-se disponível apenas para PS4 e Xbox One e será lançado mais tarde para o PC tal como aconteceu com o GTA V.

 

O jogo…

O novo título de Red Dead Redemption 2 passa-se no ano 1899 e coloca o jogador na pele de Arthur Morgan. Este período do Velho Oeste é conhecido como o inicio do declínio do Velho Oeste americano.

Arthur é umnfora da lei de uma temida gangue de Dutch Van Der Linde, um grupo de rebeldes que pratica crimes contra as autoridades e as pessoas ricas de uma zona da América onde tudo ainda estava muito atrasado e a modernidade de leste ainda não tinha chegado.

A dinâmica da gangue está no centro da narrativa do jogo e está dividida em capítulos onde no inicio do jogo temos a nossa fuga do comboio das forças da lei. A introdução ao jogo é bastante linear e chega a ser um pouco longa, aprendemos sobre os controlos do jogo e ficamos a conhecer um pouco da personalidade de Arthur.

Para quem jogou o primeiro título de Red Dead Redemption, certamente o nome do chefão da gangue será bem familiar. Na realidade ele é um dos antagonistas do primeiro Red Dead Redemption.

John Marston, o herói da primeira aventura da franquia, também está presente neste jogo, ele é um dos subordinados de Dutch.

O protagonista de Red Dead Redemption 2 tem um grande senso de honra e é dono de um carisma contagiante. Ele é um membro antigo do gangue e é responsável por ajudar Dutch a colocar ordem em todo o caos que a fuga deles criou. Inicialmente Arthur irá procurar abrigo para todo o gangue e posteriormente irá resgatar outras personagens que se perderam no meio da confusão.

Existem ainda as missões paralelas ou secundárias,  essas são totalmente opcionais mas podem até render um bom dinheiro ou itens que nos vao fazer falta na nossa aventura.

 

Football Tactics & Glory é um jogo bem diferente dos habituais jogos de gestão de equipas. Este jogo combina a mecânica de turnos com um simulador de futebol. Está bem interessante e faz lembrar os jogos de estratégia de turnos.

A ideia é crescermos desde as ligas amadoras e tentar chegar as ligas profissionais passando por torneios internacionais. Temos de treinar a nossa equipa, comprar e vender no mercado de transferencias , melhorar o estádio, fazer investimentos em jogadores mais jovens e contratar novos treinadores de forma a tornar a nossa equipa mais forte.

 O jogo inicia com a nossa escolha de país, clube, kit e patrocinador. As equipas são muito idênticas as da vida real, mas infelizmente também têm problemas com as licenças, felizmente podem ser personalizadas e modificadas de forma a se parecerem com as nossas equipas favoritas.

 Os jogos são realizados numa espécie de taboleiro, com 10 quadrados de comprimento e 7 de largura, e o jogo tem a duração de 45 ações. Em cada turno o jogador tem três ações que pode usar da forma que achar mais conveniente. Mas ainda há mais, quando não esta na nossa vez de atacar, acabamos por defender e assim sendo podemos pressionar os jogadores adversários e fazer cortes em alturas importantes do ataque do adversário.

 Para alem dos movimentos que nós ordenamos manualmente, os jogadores ainda têm as suas habilidades, eles podem especializar-se em alguma habilidade onde ganham skills que se ativam automaticamente. Assim sendo, quando um jogador atacante vê um espaço vazio e se desloca para lá ou um defesa que se movimenta conforme o ataque adversário procurando sempre a melhor forma de cobrir um jogador da outra equipa.

 

Call of Duty Black Ops 4 e mais um jogo da franquia de COD e é produzido pela Activision.
Este título é provavelmente o mais ambicioso que vimos nos últimos anos, apesar da falta do modo história do jogo.
Até conseguimos entender o facto de não termos um modo história, tendo em conta que BO4 acaba por se focar no modo multiplayer, no modo zombies e modo Blackout. Assim sendo temos de admitir que o jogo vale o preço que nos é cobrado.

 Eu sou daquelas pessoas que gosta de um bom modo história e apesar de este jogo não ter um modo história tenho de admitir que o modo Blackout faz com que o jogo seja muito divertido e nos faz esquecer facilmente a ausência do modo história.

Com a ausência do modo história que normalmente é baseado em missões Call of Duty Black Ops 4 tenta unir os jogadores ao redor do multijogador e de uma série de missões tutoriais que fazem a introdução ao jogo.
 Essas missões apresentam-nos os especialistas que são usados no modo competitivo e falam um pouco sobre a história e as suas actividades. Infelizmente a simplicidade destas missões faz-nos querer um modo história que nos apresente todas as armas e especialistas no jogo.

Como é que é pessoal, sejam muito bem-vindos a mais uma review da Strong Player.  Desta vez trago-vos a review the Bus Simulator 18,  onde simulador de condução  criado pela produtora Stillalive Studios,  disponível na plataforma Steam para download.

 Este jogo colocamos na rotina da vida de um motorista de autocarro que terá de transportar os passageiros pela cidade deixando os nas suas paragens de destino a tempo e em segurança.

 O jogo...

Em comparação com o último título que saiu em 2016, Bus Simulator 18 tem grandes melhorias no que toca a gráficos e jogabilidade.

O conteúdo do jogo é bastante satisfatório para quem gosta de simuladores de condução, contem 12 distritos diferentes espalhados numa rota de 15 km quadrados de espaço urbano e  8 viaturas criadas pelas quatro maiores fabricantes do mundo.

 

Sejam bem-vindos a mais uma review da Strong Player, desta vez com a review de Shadow of the Tomb Raider.

Após dois títulos saídos da mente criativa de Crystal Dynamics, eis que chega a hora de passar o último título da trilogia para a Eidos Montereal.

Na mais recente  aventura da série, apresentam-nos  Lara Croft mais madura mas também mais obscura.  Em 2013 conhecermos a origem Lara Croft, em 2015  foi-nos mostrada uma Lara Croft em conflito com a Trinity,  agora em 2018 é nos apresentada uma personagem mais madura e não tem medos.

Acho que a maior evolução  este título a evolução da focado na sua personalidade.  Se em tempos vimos uma Lara que era vítima de todas as aventuras e confusões que envolviam o seu pai, em Shadow posso dizer que temos uma Lara que mais parece um vilão.

Lara Croft está mais crescida mas não consegue esquecer o seu passado e as circunstâncias que lhe tiraram o seu pai, ela parece estar disposta a saciar a sede de vingança e encontrar os culpados.

 

O jogo...

É impossível não fazer comparações com o que foi feito no passado não perceber que existem algumas cenas idênticas ao que aconteceu em Rise of Tomb Raider.  Iremos ver várias cenas do jogo onde será impossível não compararmos com que vimos no jogo anterior. Infelizmente são muito idênticos, o que me leva-me a querer que a passagem de testemunho entre as produtoras acabou  por deixar o último jogo da trilogia a perder.

 

Sejam muito bem-vindos a mais uma review da Strong Player, desta vez com Spider-Man.

Esta foi uma review que eu adorei fazer, pela primeira vez joguei um jogo de Spider-Man que eu posso dizer que está fantástico.

Em primeiro lugar porque este personagem de Spider-Man já é um personagem um pouco mais velho do que estamos habituados a ver nos filmes.

Estamos a falar de um Peter Parker mais adulto, um personagem que já tem o seu próprio emprego, já não estuda e que tenta ajudar a cidade com os seus poderes sempre tendo em conta que "grandes poderes acarretam grandes responsabilidades".

Já não estamos a falar de um Spider-Man imaturo, estamos a falar de um adulto, de uma personagem que já tem a sua própria personalidade, que já pesa os prós e os contras de forma a tomar as melhores decisões.

Este novo Spider-Man já tem 8 anos de super-herói, neste momento da história ele já não namora com a Mary Jane. Muita coisa aconteceu, mas para saberem mais vão ter de jogar. Temos algumas missões secretas nas quais iremos jogar com Mary Jane, são missões bem interessantes que nos vão ajudar a compreender todo o enredo da história do jogo.

Assim que iniciamos o jogo já estaremos a combater uma das personagens mais icónicas do mundo de Spider-Man, estou a falar do Fisk,  o vilão que toma conta da cidade de Manhattan, mas que iremos perceber que afinal ele mantinha uma certa ordem dentro do próprio crime.

Após o combate com o Fisk, essa personagem é presa e o caos reina na cidade. Peter Parker entra assim numa nova fase onde temos um novo super vilão chamado de Mr. Negative, ele tem um gangue de capangas que usam máscaras chamadas de Demons.

Mas o jogo é muito mais do que isso estamos a falar de um jogo onde combates mais pequenos também são essenciais para que a nossa personagem cresça e para que se possa adquirir novos fatos e novas habilidades para a nossa personagem. Essas habilidades vão fazer com que seja possível derrotar inimigos mais fortes. Todas as missões são importantes, e fazer algumas missões secundarias será importante para que a nossa evolução possa ser constante.

Como é que é pessoal, sejam muito bem-vindos a mais uma vídeo da Strong Player, eu sou o Perplera e estou aqui para fazer a review do Razer Firefly.

O Razer Firefly é um dispositivo mouse pad que se faz acompanhar pelo Razer Mamba. Este dispositivo é composto por um rato e mouse pad hyperflex.

Acondicionamento...

O Razer Firefly faz-se acompanhar de uma grande caixa que contem no seu interior o mouse pad e o rato Razer Mamba.  A caixa é muito simples tendo na parte frontal da uma ilustração do mouse pad e do rato e na parte de trás vem ainda uma ilustração do mouse pad e do Razer Mamba.  Ainda na parte de trás da caixa contem informações sobre o dispositivo que vem no interior.

No interior da caixa encontramos o mouse pad devidamente acondicionado em espumas e por trás do mouse pad encontramos o rato Razer Mamba. Juntamente com tudo isto temos um cabo USB que será utilizado para as conexões e o manual de instruções com um folheto de agradecimento da Razer por termos adquirido este dispositivo.

O conjunto...

Eu diria que há uns anos atrás que o Firefly seria algo completamente estranho, e quando digo estranho é mesmo estranho. Isto porque na realidade o rato que se faz acompanhar pelo mouse pad é um dispositivo que funciona sem fio e sem bateria.

De todos os Mouse pads com rato sem fio o que achei mais futurista até hoje foi o hyperflux da Razer.  O rato que venha acompanhar o mouse pad da Razer Razer Mamba adaptado para estas funções como vocês podem ver numa outra review que eu tenho aqui no website, o Razer Mamba não é um rato sem bateria, pode ser um rato sem fio mas nunca será um rato sem bateria. O Razer Mamba que vem no Hyperflux da Razer é adaptado ele não tem fio nem bateria, ele é algo bem diferente de tudo o que vimos até hoje.

Eu poderia dizer que o o reset mama hyperflex é uma versão muito idêntico ao Mouse Pad G903.

Basicamente basta pousar sobre o mouse pad e ele irá o conectar através de um capacitador.  Já o G903 irá ativar a sua bateria entre 85 a 95% da sua carga.

 

 

Já la vai um longo caminho percorrido pelos periféricos desde os seus antepassados mais simples e básicos e pouco confiáveis (pelo menos para videojogos). Hoje em dia, um bom rato sem fio ira funcionar tão bem como o seu equivalente com fio. Isso é exatamente o que acontece com o Razer Mamba.

Embora o preço deste dispositivo seja um pouco acima da media, ele tem um desempenho superior e uma qualidade de construção bem resistente.

Design…

O Razer Mamba Elite é um rato de grande porte que contem sete botões totalmente programáveis. As zonas laterais têm uma textura de borracha para o utilizador poder agarrar melhor o dispositivo. Estas texturas laterais dão ao Razer um ar mais agressivo e o seu tamanha é o ideal para a maioria dos gamers.

Características...

No que toca a iluminação, configuração e software, o Razer Mamba Elite é muito idêntico aos Tournament Edition.

O software usado é o Razer Synapse 2.0, software que torna bastante simples programar cada um dos botões do dispositivo e vincular perfis a determinados jogos. É possível fazer a programação da iluminação e programar a sensibilidade de pontos por polegada (DPI).

Razer Atheris é um rato bem acessível, principalmente para quem pretende um rato que seja possível transportar para todo o lado sem ter cabos a entrelaçar em tudo. Escolher o rato para usar no nosso portátil é sempre um desafio, especialmente quando a grande quantidade dos consumidores não quer investir muito dinheiro. Mas a Razer trouxe uma solução com o lançamento do Razer Atheris que tem o preço de 59.99€. Não é um rato muito barato, mas vale bem o preço que ele custa.

O que torna o Atheris impressionante em comparação com alguns dos ratos concorrentes no mercado são as opções de conecção dupla, seja a ligação por USB a 2.4GHz ou Bluetooth Low-Energy (LE) com uma longa duração da bateria.

O hardware do Razer Atheris suporta o Bluetooth LE para aqueles que desejam conectar-se sem problemas, mas também há um dongle sem fio de 2,4 GHz incluído para uma conexão de melhor qualidade com tempos de resposta mais rápidos.

Especificações…

Uso contínuo de 350 horas em um único par de pilhas AA (no modo Bluetooth).

Sensor óptico de 7,200 DPI.

Conexão LE.2.4 GHz com tecnologia de frequência adaptativa (AFT).

Fator de forma ergonómica equivalente.

Compacta e pronto para celular (o dongle se encaixa no mouse, não é necessário nenhum estojo de transporte extra) .Faz botões de hiper-resposta programáveis ​​independentemente. Tamanho aproximado: 99,7 mm / 3,9 pol. (comprimento) X 62,8 mm / 2,5 pol. (largura) X 34,1 mm / 1,35 pol. (altura). Peso aproximado 66 g / 0,14 lbs (excluindo as baterias).

O Razer usa AFT com o Atheris, e é a mesma tecnologia de otimização de rádio encontrada no mouse de jogo Razer Lancehead. Em vez de apenas um sinal direto de 2,4 GHz, a AFT está constantemente à procura de canais abertos no espectro de 2,4 GHz para garantir que não haja atraso na interferência de rádio. Embora a interferência não seja um problema em casa, pode aparecer em um ambiente público ocupado, como uma cafeteria ou aeroporto, onde muitos dispositivos estão competindo por um sinal.

Grandes Amantes de Aranhas aranhiços e Cabeças de Teias , Ele está de Volta sim o vosso melhor amigo da vizinhança , o Cabeça de Teia Spider-Man! Desde do Spiderman para a nossa velhinha Playstation que esperamos voltar a Cidade de Nova York e a todo o explendor de balançar por predios e outros mais defrontando todos aqueles excelentes rivais do aranhiço!

Agora de volta com um enredo totalmente novo mas com todas as nossas lindas personagens para todos os fãs temos o jogo que a dia 7 de Setembro vai nos trazer a alegria de ser criança uma vez mais! Marvel's Spiderman em exclusivo para a Playstation 4.