Mortal Kombat é uma franquia que eu gosto bastante, é certo que cresci com a franquia Street Fighter mas Mortal Kombat acabou por ganhar um espaço muito especial no meu coração. Mortal Kombat é um jogo visualmente violento,  mas esse é um dos pontos que os jogadores mais gostam. O jogo conta sempre com os exageros criativos da destruição de ossos e órgãos das personagens, mas a parte preferida dos jogadores são as "Fatality's", algo visualmente deslumbrante, para quem gosta de cenas violentas.

História...
Se há coisa que em Mortal Kombat podemos sempre contar é com a sua história, creio que desde Mortal Kombat 9 que a produtora tem uma narrativa e um enredo bem cativante. Como em quase todas as histórias de Mortal Kombat a produtora decide navegar por aguas mais profundas do que as anteriores, e desta vez entramos na fase das viagens temporais. Digo isto porque não é fácil lidar com o passado, presente e futuro sem criar furos no enredo que foi criado até à data.  É certo que existiu uma outra escorregadela na criação deste enredo, mas de qualquer das formas a produtora conseguiu acertar em cheio nesta nova história.

Não querendo estragar a história do jogo com spoilers vou somente avançar com a ideia que a produtora teve de trazer uma deusa do tempo que combina os defensores do reino do primeiro torneio com as suas versões do futuro. Mortal Kombat 11 conta agora com um elenco de peso, e com uma história cheia de computadores que facilmente daria um bom filme. O único senão em tudo isto é que com o facto de termos um ator para cada uma das personagens, e provavelmente devido a gastos com esses atores, acabamos por ver excluídas personagens como Smoke, Reptile, Takeda e outros.

Pela primeira vez a Exoterra e submundo tiveram o destaque que mereciam e é interessante ver o que realmente a serie criou sobre estes dois pontos tão importantes de toda a trama.

Gráficos...
A nível gráfico o jogo está incrível tal como seria de esperar, e é engraçado ver Scorpion e Sub-Zero mais velhos e lutarem como Aliados. É também espetacular ver os monges Shaolin do passado a lutar novamente lado a lado e ainda mais interessante é ver Johnny Cage jovem e interagir com a sua versão mais velha e madura.

Jogabilidade...
O modo aventura conta com vários diálogos de uma qualidade incrível e com o senso de humor na dose certa, os temidos Quick Time Events estão fora do jogo e as únicas interações que teremos nas cutscenes são a escolha das personagens nas lutas que por vezes nos aparecem.

Após uma campanha de cinco a 6 horas ainda vão restar as torres das personagens, essas torres mostram o desfecho de cada lutador no jogo, para além das torres clássicas temos ainda as torres do tempo. Para quem jogou Injustice 2 estas torres do tempo são o equivalente ao Multiverso mas com algumas mudanças boas e outras menos boas.

Este é sem duvida um jogo de luta e posso dizer que a sua base é bem sólida. A Nethrrealm voltou a criar um Mortal Kombat melhor que o seu antecessor. 

Este é o décimo primeiro jogo da serie e posso considerar que é o jogo com a cadencia mais alta que a produtora criou até hoje. Tem golpes e movimentos mais lentos e para quem está habituado ao Mortal Kombat X então terá em Mortal Kombat XI um contraste bem grande. É sem duvida a maior evolução desta franquia e para melhor.

Mortal Kombat XI é bem menos amigável do que o seu antecessor e com lutadores e jogabilidade mais complexa, haverá um maior tempos e habituação, mas vai valer a pena.

Nas novidades temos o Fatal Blow e o Crushing Blow (Golpe Esmagador), digamos que os golpes de X-Ray foram desconstruídos e divididos em duas vertentes. O Crushing Blow é uma especie de homenagem aos golpes antigos que só podem ser usados como contra-ataque e por vezes é limitado. Já o Fatal Blow é considerado o novo X-Ray que só pode ser usado uma vez por partida quando a nossa vida se encontra abaixo de 30% e esta não consome a nossa barra de energia muito pela primeira vez as barras especiais foram divididas em duas, uma para ataque e outra para defesa. Assim permite com que cada recurso possa ser utilizado para funções distintas acabando por aumentar a defesa e o ataque durante toda a partida.
O jogo está muito bem equilibrado e a prova disso são as 25 personagens base (contando com Shao Kahn). Todas as personagens são bem distintas, inclusive na sua forma de combater (combinações de botões diferentes). Tem também o peso, a velocidade e os ataques de cada um dos personagens que variam muito, como seria de se esperar. Tudo isto tem impacto no combate e já tinha sido apresentado em Mortal Kombat X e chega agora mais robusto e aprimorado. 

Cada personagem tem golpes que sempre estão presentes e outros que podem ser equipados em três espaços disponíveis. Os golpes mais poderosos, por exemplo, custam dois espaços, garantindo que nenhuma build fique poderosa demais.

O jogo está carregado de tutoriais, e e nesse momento que o anfitrião Kung Lao se chega a frente e nos ensina tudo sobre as novas mecânicas. Há muitas mecânicas novas e muita coisa para aprender, até mesmo para os veteranos da serie. Mas tranquilos, Mortal Kombat XI tem um dis tutoriais mais completos que eu vi até hoje num jogo de luta.
Cada uma das personagens tem três espaços para alocar equipamentos e cada um deles tem encaixes para colocar jóias que alteram os seus atributos. Mas isto só tem impacto nas torres e não no modo online.

Modo Online…
O modo online está agora mais equilibrado e sem perdas de conecção ou demoras a encontrar partidas casuais versus. Fiquei bastante satisfeito com o modo online e é sem duvida o melhor local para encontrar os jogadores mais poderosos.

Gráficos…
Mortal Kombat XI é sem dúvida o jogo mais bonito desta geração e o mais cinematográfica de toda a franquia. Visualmente é um jogo muito bonito e as cutcenes são uma orgia visual tudo a rodar a 60 fps. A diferença gráfica entre Mortal Kombat XI e o seu antecessor é gigante e ter a presença de atores reais e quatro anos de diferença acaba por ter as suas vantagens.
Os cenários de jogo são incríveis com montes de efeitos de luz e sombras com muito movimentos por de trás as lutas.Na historia podemos apreciar as cutcenes e as expressões faciais das personagens que estão muito bem e são muito convincentes

Conclusão…
Mortal Kombat XI tem.lutas incríveis, um gameplay surpreendente, um modo online interessante e um modo historia bem conseguido. Posso dizer que a Netherrealm conseguiu criar uma obra incrível , sem duvida a melhor da franquia. 

Como em qualquer jogo, Mortal Kombat XI não é feito só de coisas boas, ter personagens que falem dentro do modo historia seria interessante e o modelo de negocia que vão encontrar na Kripta é desnecessário. 

Assim sendo, se és um viciadão em lutas online ou aprecias uma experiência single player, Mortal Kombat XI é sem dúvida o jogo que deves ter na tua coleção.

No decorrer dos meses vão ser adicionadas novas personagens através de DLC's pagos e posso garantir horas e horas de jogo sem te cansares de ver cabeças a voar, até porque cada adversário é diferente e terá truques na manga que não estarás certamente a contar...

Nota:9/10

 

Positivo…   Negativo…
História cativante.   Faltam muitos personagens chave.
Evolução dos personagens satisfatório.   Microtransações.
Excelente modo de treino.   Algumas Torres do Tempo são extremamente difíceis.
Incrível modo online.