Grid chega ao mercado dos videojogos e desta vez com o nome Grid Ultimate Edition. Este jogo foi revelado sem grandes destaques e ainda com a desvantagem de este ser um reboot da popular serie Grid que saiu em 2008. Muito provavelmente este jogo não terá o mesmo destaque e espaço que teve no seu tempo, até porque o gênero de jogo de corridas a que Grid pertence está muito bem preenchido. O jogo chega para as seguintes plataformas, PC, Xbox Onde e PS4.

O jogo foi desenvolvido pela Codemasters, uma das editoras mais consagradas no que toca a jogos de automobilismo. O jogo GRID que nos chega agora à mão aposta essencialmente num regresso as raízes onde misturam simulação e arcade num só jogo.

Assim que iniciamos o jogo percebemos que GRID nos trás aquela nostalgia da era da PlayStation 2, muito disso pela sua simplicidade, algo que acaba por se tornar um pouco negativo.

O jogo conta com três modos de jogo disponíveis, o modo "Carreira", modo " Multiplayer" e um modo "Organização de partidas".

No final de contas tudo isto se resume em ganhar pontos num ou nos três modos de jogo de forma a evoluir o nosso piloto ao máximo.

O jogo dá ao jogador XP em praticamente tudo o que faz, mas ele também obriga o jogador a tornar-se um piloto melhor. Isso pode acontecer de várias formas por exemplo, o jogador pode ser expulso de uma partida ao abandonar o limite de uma pista ou então ser eliminado por causa de uma batida que possa danificar de forma terminal um outro veículo de outro outro piloto.

Creio que tudo isto acontece de forma a exigir mais dos jogadores independente do nível de dificuldades que tenham escolhido.

Algo que gostei bastante neste reboot foi a inteligência artificial dos adversários. Esta nova AI trouxe aos nossos adversários mais agressividade, abertura de poucos espaços para ultrapassagem, são desafios constantes para os quais devem os prepararam os psicologicamente. Algo muito interessante de ver é os adversários que sofrem alguns danos causados por batidas do nosso carro, eles vão tentar vingar-se e colocar o nossa carro fora da pista a todo o custo. Algo bem interessante que já existia no jogo anterior mas que aqui se faz notar ainda mais.

O gameplay está muito bem, ele equilibra a simulação com o arcade e trás até aos jogadores mudanças que fazem toda a diferença.

Pensando na atual geração de videojogos eles ajustaram a física do jogo de forma a parecer mais real e deram um certo peso aos carros, sempre preocupados com o tipo de veiculo e a sua categoria. Digamos que um carro de categoria Turismo nunca se vai comportar da mesma forma que um da categoria GT ou mesmo um Stock Car, outra coisa interessante é que o próprio jogador acaba por precisar de uma certa adaptação a cada veiculo precisamente por causa do que acabei de referir acima.

Tal como os anteriores jogos da franquia, GRID conta com algumas opções para novatos e não só. Os jogadores podem ativas nas opções o rastro que nos indica qual o melhor caminho a seguir e quando travar e acelerar, os jogadores podem também usar o botão de regressar na partida, é cono se puxassem a corrida atrás no tempo uns segundos para poder corrigir uma manobra que correu mal.

O jogo conta com cerca de 70 carros, algo bem modesto em comparação com outros jogos de corrida. A vantagem é que o jogador vai poder desbloquear centenas de skins para personalizar o seu carro como bem quizer.

A costomização estética dos veículos está muito bem conseguida e permite aos jogadores uma liberdade absoluta.

Algo que me decepcionou um pouco foras a quantidade de pistas. Apesar de o jogo se passar entre quatro continentes, o número de pistas é bastante limitado quando comparado a outros jogos do gênero. Os jogadores vão correr varias vezes nas mesmas pistas sendo que a única variação que vão encontrar é o clima, que sejamos sinceros não é nada dinâmico. O melhore que iremos encontrar é um tempo mais chuvoso, que por sinal foi muito bem criado, até temos de ter cuidado com a aquaplanagem.

Um dos pontos altos do jogo é a participação do ex-piloto Fernando Alonso, bicampeão mundial de F1 pela Renault. Este piloto tem um torneio próprio dentro do jogo em que o piloto faz questão de aparecer num evento final para confrontar o jogador cara a cara e terminar a campanha do jogo em grande.

O modo de campanha do jogo é bem interessante e eu gostei bastante do que vi e do que joguei, infelizmente devo dizer que o gameplay do modo campanha não consegue acompanhar os restantes modos de jogo.

Nas partidas rápidas temos um espaço para quem quer fazer corridas sem compromisso e quebrar recordes de tempo seguindo alguns requisitos, mas que não acrescenta nada ao jogo.

Depois temos as corridas multiplayer, estas funcionam bem e permitem ao jogador fazer corridas privadas ou partidas online contra outros jogadores aleatórios. O grande problema deste modo é que não tem capacidade suficiente para manter os jogadores agarra dos depois de terem terminado o modo campanha.

 

Gráficos…

O visual do jogo está muito bem conseguido e no que toca aos gráficos ele não fica atrás dos outros concorrentes de peso do mercado atualnde videojogos. GRID entrega aos jogadores um jogo visualmente fiel que está a altura da geração atual.

O estúdio conseguiu jogar muito bem com a iluminação do jogo e entregar uma experiência bem realista,veiculos  com sombras e detalhes incríveis nos veiculos tanto no exterior como no interior…

Outro ponto a dar destaque são as colisões, o sistema tem sempre em atenção a velocidade e impacto das colisões fazendo com que se vejam peças a voar dos carros depois do embate.

 

Som…

No que toca ao som do jogo, este está muito bom também, tem efeitos muito próximos da realidade. Os motores dos carros têm ruídos bem característicos e varia dependendo da categoria a que pertence.

A dublagem do jogo em Português do Brasil também ficou muito bem feita, e é sempre bom termos jogos na nossa linguagem, mesmo que seja com pronúncia Brasileira.

 

Conclusão…

GRID chega às lojas com o melhor que sabe fazer que é proporcionar diversão aos jogadores. O jogo conta com um visual muito atraente e com um gameplay espetacular. O jogo proporciona varias horas de diversão apesar de não ter muito conteúdo.

Digamos que a serie parou um pouco no tempo e apesar de ser uma serie já com uma bagagem grande, o jogo naoyesta preparado para se bater com os jogos da atual geração.

De destacar o sistema replay que nosnpermite regressar atrás UBS segundos e corrigir algumas asneiras que vamos fazendo durante a corrida.

Assim sendo GRID fica uns furos abaixo do esperado, e muito disso acontece pela sua falta de ambição. Mesmo assim nao deixa de ser um jogo interessante para passar algumas horas de diversão.

 

Nota: 7/10

Positivo…   Negativo…
Gameplay divertido.   Modos de jogo muito simples. 
Visual espetacular.   Multiplayer abaixo do esperado. 
Modo carreira robusto.   Poucas pistas. 
Participação de Fernando Alonso.   Lista de veículos muito curta.