Como é que é pessoal, sejam muito bem-vindos a mais uma vídeo da Strong Player, eu sou o Perplera e estou aqui para fazer a review do Razer Firefly.

O Razer Firefly é um dispositivo mouse pad que se faz acompanhar pelo Razer Mamba. Este dispositivo é composto por um rato e mouse pad hyperflex.

O Razer Firefly faz-se acompanhar de uma grande caixa que contem no seu interior o mouse pad e o rato Razer Mamba.  A caixa é muito simples tendo na parte frontal da uma ilustração do mouse pad e do rato e na parte de trás vem ainda uma ilustração do mouse pad e do Razer Mamba.  Ainda na parte de trás da caixa contem informações sobre o dispositivo que vem no interior.

No interior da caixa encontramos o mouse pad devidamente acondicionado em espumas e por trás do mouse pad encontramos o rato Razer Mamba. Juntamente com tudo isto temos um cabo USB que será utilizado para as conexões e o manual de instruções com um folheto de agradecimento da Razer por termos adquirido este dispositivo.

O conjunto...

Eu diria que há uns anos atrás que o Firefly seria algo completamente estranho, e quando digo estranho é mesmo estranho. Isto porque na realidade o rato que se faz acompanhar pelo mouse pad é um dispositivo que funciona sem fio e sem bateria.

De todos os Mouse pads com rato sem fio o que achei mais futurista até hoje foi o hyperflux da Razer.  O rato que venha acompanhar o mouse pad da Razer Razer Mamba adaptado para estas funções como vocês podem ver numa outra review que eu tenho aqui no website, o Razer Mamba não é um rato sem bateria, pode ser um rato sem fio mas nunca será um rato sem bateria. O Razer Mamba que vem no Hyperflux da Razer é adaptado ele não tem fio nem bateria, ele é algo bem diferente de tudo o que vimos até hoje.

Eu poderia dizer que o o reset mama hyperflex é uma versão muito idêntico ao Mouse Pad G903.

Basicamente basta pousar sobre o mouse pad e ele irá o conectar através de um capacitador.  Já o G903 irá ativar a sua bateria entre 85 a 95% da sua carga.

 Um dos principais pontos negativos que encontrei neste dispositivo foi o facto de o sistema wireless do rato Razer Mamba não ter com um alcance nos cantos do Mouse Pad.  Algo que é deveras muito estranho tendo em conta que os cantos da superfície do mouse pad não se encontram assim tão distantes do sensor.

 Isto não é o mais estranho até porque G903 quando é colocado nos cantos do mouse pad ele passa para o modo bateria, no que toca ao Razer Mamba, ele simplesmente se desliga.

Reconectar o Mamba Hyperflux é algo que leva tempo, cerca de 6 segundos ao mover o cursor após o desligamento completo.  Será que isso irá ser um problema recorrente? Claro que não, isso não irá acontecer se o rato Razer Mamba ficar no centro do Mouse Pad.

Tendo tudo isto em conta, posso dizer que gosto muito do Razer Mamba Firefly, disgo isto porque o rato é muito confortável e desliza muito bem, gosto da aparência das borrachas laterais e posso ainda dizer que nos permitem agarrar no rato com muito mais controlo sobre o mesmo.

 O Razer Mamba hyperflux possui um sensor óptico que julgo ser uma adaptação do PWM3360 da Razer.  É o primeiro rato da Razer sem fio a fazer isso tendo em conta que os modelos anteriores usavam o sensor laser.

O Razer Mamba Hyperflux tem um bom desempenho e não pesa quase nada. Eu diria que este é um rato ótimo para poder  utilizar no dia a dia, mas seria para desempenhar funções comuns como o acesso à internet, o uzo em trabalhos com Photoshop e outros softwares que normalmente usamos no nosso dia-a-dia. Em relação a usar este rato enquanto jogamos videojogos, eu diria que não é o ideal, afinal de contas ele poderia facilmente perder a conexão no meio de um jogo.

Conclusão...

O dispositivo Firefly da Razer é um dispositivo muito interessante, infelizmente conta com alguns problemas, temos o facto de o rato não funcionar com fio, o que nos deixa bastante limitados, e ainda o facto de o rato desconectar quando se afasta demasiado do sensor.

 Mas no geral o sistema do Razer Firefly até funciona muito bem não é de todo o mais indicado para jogar videojogos mas para o uso do dia a dia será certamente muito interessante.

O preço deste dispositivo não é certamente o mais acessível, estamos a falar de 279,99 €.  É um pouco exagerado para o bolso do português. Tendo em conta que os dispositivos gaming estão cada vez mais caros, só posso dizer que o preço deste dispositivo talvez esteja um pouco acima do que deveria custar.  É certo que esta tecnologia é uma tecnologia de ponta e ainda se encontram em evolução.  Não existem muitos positivos deste gênero, apesar de os dispositivos que existem no mercado conterem uma bateria e a possibilidade de funcionar por cabo.

 Apesar de eu ser um grande fã da Razer, este não seria um dispositivo que eu usaria no meu dia-a-dia tendo em conta umas quantas limitações do próprio hardware. Em relação ao software este permite-nos fazer várias alterações de forma a configurar as mais variadas opções dos dispositivos.

Nota: 7/10

Positivo...

Tecnologia de ponta.

Confortável

Robusto.

 

Negativo...

Perda de conexão.

Sem possibilidade de uso de cabo USB.