Dead Synchronicity
Editor rating
8.0
User rate
N/A
Global vote
8.0
Vote you too:
N/A
Release: 10/4/2015
Price: € 19.99

Dead Synchronicity

Genres: AVENTURA Producer: Daedalic Entertainment
  • Production: Daedalic Entertainment
  • Release date: 10/4/2015
  • Recommended age: 16 years

Dead Synchronicity é um jogo de aventura que coloca como ponto central puzzles que devem ser resolvidos de forma a conseguirmos resolver os casos que nos são apresentados. Este título constrói o seu enredo através do contacto com outras borrão na gene que nos vão dando pistas sobre o que se passa ao nosso redor.

 

A narrativa do jogo chama a atenção desde o início. Nós acordamos num mundo desconhecido, tanto para nós como para o protagonista que perdeu a memória, e os primeiros minutos do jogo acabam por ser pequenas conversas com os habitantes que por ali se encontram de forma a entender um pouco melhor o contexto da historia.

 

Segundo eu pude perceber, houve um evento que destruiu uma boa parte do mundo e trouxe varias enfermidades para as pessoas, em pouquíssimo tempo os estados, facções, empresas e instituições foram substituídos por outros focos de poder. Os recursos tornaram-se escassos e as informações também.

 

Creio que a falta de memória da nossa personagem se deu devido a todos estes acontecimentos, e é também por isso que a nossa personagem se encontra num campo de refugiados.

Após alguns minutos de jogo acabamos por perceber que este espaço está mais para um campo de concentração do que um centro de ajuda humanitária. Tudo parece mais estranho tendo em contava ação extremamente violenta por parte dos militares da cidade.

 

Dead Synchronicity tem um enredo bastante interessante onde o foco acaba cor ser descobrir o que está a acontecer e onde as relações com os habitantes é importante para a descoberta e para que se possa ajudar quem realmente tem de ser ajudado.

 

A primeira parte do episódio vai apenas levar os jogadores a encontrar pessoas que realmente acreditamos que precisão ser ajudados. Mas no decorrer do jogo iremos chegar, inevitavelmente, a segunda parte do jogo onde percebemos que num mundo tão sujo e violento iremos ter de sujar as mãos e agir de forma violenta para fazermos o que necessita ser feito.

 

Quando iniciamos este jogo iremos perceber que a nossa personagem está mais centrada em ajudar alguém para poder prosseguir. Um dos exemplos que posso dar é uma missão onde temos de conseguir um passe para conseguir sair do campo e podermos procurar um remédio para um menino e assim saber um pouco mais sobre o seu passado. Mas as missões não serão sempre deste género, mais a frente iremos acabar por ajudar pessoas imorais para conseguirmos atingir os nossos objetivos.

 

A história conta com muitos pontos chave que fazem com que a história faça sentido. E não deixa de ser interessante ver como os diálogos e a relação com as personagens acabam por se tornar distintas.

 

Em relação a nossa personagem, ela esta sozinha e possuí apenas a sua inteligência para prosseguir na aventura. Uma das coisas que eu mais gosto no jogo é a clareza dos objetivos tanto a curto como a longo prazo.

Dead Synchronicity é um jogo bastante linear, ele não nos dá múltiplos objetivos ao mesmo tempo, algo que normalmente pode ser um problema para os jogadores, principalmente quando empancamos numa determinada missão.

 

Conclusão...

Dead Synchronicity é competente e responde ao jogador, dá um feedback bastante positivo. Isso é importante para que o puzzle, de certa forma, se possa resolver.

Isso tudo para dizer que o jogo traz alguns puzzles interessantes e até mesmo memoráveis, sempre aliados à construção do enredo e dos personagens, mas que também traz outros um pouco chatos e frustrantes. O enredo está muito bem conduzido de uma forma geral, mas que tropeça em alguns desses problemas da jogabilidade e também em algumas opções de áudio que não casam bem com a ação que está a acontecer.

 

Infelizmente o jogo acaba num momento de clímax na história, e o seu final é tão aparentemente abrupto que só então descobri que o jogo foi dividido em dois. Parece muito mais uma decisão que teve que ser feita do que algo que tenha muito sentido com o que está a ser apresentado no jogo, o que acaba por chatear um pouco, mesmo que o final do episódio consiga fechar bem algumas narrativas, apresentar novas situações e preparar para o próximo episódio.

Read the review »

Media gallery
Images and videos
01
01
      Sobre Nós       Jobs       Acordo de Privacidade       Estatuto Editorial