Assassin Creed Revelations
Editor rating
8.5
User rate
N/A
Global vote
8.5
Vote you too:
N/A
Release: 15/11/11
Price: € 59.99

Assassin Creed Revelations

Genres: AVENTURA, ACÇÃO Producer: Ubisoft

Assassin'sCreed, não é nenhuma obra-prima dos videojogos de acção mas encontra-se lá perto, tem conseguido melhoras com o tempo, tanto em aspectos visuais, como na própria qualidade e variedade de gameplay (algo nada comum nas sequelas).
Ao analisarmos o modo multiplayer reparamos que está muito idêntico ao seu antecessor Brotherhood, estão lá os mesmos conceitos, contem uma estrotura que foi melhorada mas contem novos modos de jogo.
O jogo apresenta um tutorial muito breve para demonstrar tudo o que precisamos saber para podermos subreviver aos primeiros minutos de jogo.
Ajuda-nos com coisas como os comandos de jogo, objectivos e muitas outras coisas que nos vão ajudar a subreviver.
Uma das grandes mudanças do multijogador é a introdução do modo Deathmatch em AssassinCreed: Revelations, este modo de jogo funciona dentro do sistema tradicional onde somos caçadores e presas.
O jogo vai determinar um alvo para nós eliminarmos mas ao mesmo tempo determina um assassino para nos perseguir e eliminar.
O mapa que está disponível para este modo de jogo é pequeno o que nos deixa a cada segundo com a sensação de perigo pois vemos mortes
a acontecer ao nosso redor a todo o instante.
Este modo acaba por se parecer um pouco com o modo Wanted que existia em AssassinCreed: Brothehood mas sem a presença do
radar que indica onde o nosso alvo se encontra.
A pergunta certamente deve ser…
“E como encontramos o nosso alvo?”
Simples, ao invez do radar vai aparecer uma foto do nosso alvo no canto superior direito do ecrã com uma barra que brilha sempre que nós estamos na sua linha de visão.
Este tipo de sistema obriga-nos a procurar entre a multidão o nosso alvo  mas com cuidado para não sermos detectados.
Corremos sempre o risco de existirem alguns NPCs com o mesmo aspecto na área onde se encontra o
nosso alvo, assim sendo temos de estar atentos a qualquer comportamento suspeito.
Assim que nós localizamos o nosso alvo temos uma barra que vai aumentando desde discreto até incógnito com a
condição de mantermos o alvo no nosso campo de visão.
Os assassinatos que se dão no modo incógnito recompensam os jogadores em mais pontos do que no modo
discreto ou silencioso, isso leva o jogador a procurar abordagens mais discretas que nos levam a melhores resultados.
Como podemos nós imobilizar o nosso perseguidor?
Simples, basta que na altura que o nosso inimigo vai avançar para nós, nós estejamos preparados para ataca-los, isso leva a que fiquemos atentos em quem pode ser o nosso perseguidor.
De uma forma geral o modo Deathmatch está bastante divertido, com um ritmo bastante rápido que promove acção permanente.
Promete ser uma boa opção para os novos jogadores aprenderem os detalhes do jogo, e para os experientes aperfeiçoarem a sua técnica.
Algo que me cativou em Assassincreed: Revelations foi a excelente utilização da mecânica “stealth”, ou seja apesar de termos cuidado e procurarmos
incessantemente a nossa vítima temos de ser pro activos na busca pelo nosso alvo e ao mesmo tempo obriga-nos a ter muito cuidado pois podemos tornar-nos na vítima.
A maneira como surpreendemos o nosso adversário é o mais gratificante, seja saltando de um monte de feno ou voar de um telhado para cima dele, tornasse gratificante no que toca a pontos e é muito divertido.
Como já disse anteriormente, como não temos um radar que nos ajuda a encontrar o nosso alvo temos de o identificar pelo seu aspecto, AssassinCreed: Revelations permite escolher entre nove personagens diferentes, todos com aparências e especificidades completamente distintas.
Algo que também foi alvo de restauração foram os menus, agora têm uma forma mais simples e mais inteligente.
Algo que também é novidade o modo de multiplayer com o nome ArtifactAssault, baseia-se no estilo “capture theflag” com equipas de 4 com um ritmo alucinante e caótico.
Como sempre partimos da nossa base onde se encontra o nosso artefacto/bandeira que deve ser defendido e devemos deslocar-nos para a base adversaria onde se encontra o artefacto/bandeira que devemos capturar.
O mapa está igualmente repartido em duas partes, o nosso território e o território do inimigo.
Enquanto estivermos no nosso território a coisa corre menos mal mas a partir do momento em que passarmos para o território do inimigo ai é que a porca torce o rabo, passamos automaticamente a presas e devemos tentar passar por despercebidos, isso se queremos chegar ao artefacto/bandeira do inimigo.
Quando conseguimos capturar o artefacto/bandeira do inimigo devemos correr como se não houvesse amanha até a nossa base, quem fizer mais capturas de bandeiras/artefactos em 10 minutos vence o jogo.
Este modo de jogo é muito interessante pois pode tornar-se caótico, a equipa é escolhida aleatoriamente misturando jogadores furtivos com inexperientes fazendo com que se veja toda a gente a correr de um modo desenfreado pelo mapa.
No entanto com uma equipa organizada e com uma estratégia definida é possível executar ataques organizados ao artefacto adversário com vários ataques em pontos diferentes enquanto um colega de equipa se esgueira para capturar o artefacto de surpresa.
Ainda falando sobre novidades, o jogo contem a opção de fazer reviver os nossos companheiros, por exemplo, quando um companheiro é imobilizado por um stun, podemos executar um “revive” que faz com que o nosso companheiro recupere mais rapidamente o controlo da personagem.

      Sobre Nós       Jobs       Acordo de Privacidade       Estatuto Editorial