REVIEW – Police Simulator: Patrol Officers

REVIEW – Police Simulator: Patrol Officers

Julho 18, 2021 0 Por Perplera

Já me enviaram muitos jogos diferentes para review, mas um jogo onde eu iria estar na pele de um polícia durante o seu dia a dia, este é novo.

Imagem Gameplay Police PatrolPolice Simulator: Patrol Officers coloca os jogadores na pele de um polícia, na cidade fictícia de Brighton, nos Estados Unidos, que também é o nome de uma cidade real no sul da Inglaterra. Este é um lugar muito animado, com pessoas muito amigáveis.

O jogador inicia o jogo com a escolha do policial que pretende comandar e assim tentar subir na hierarquia do Departamento de Polícia de Brighton, assim sendo, é hora de passar algumas multas de estacionamento. Na realidade, passam a ser muitas e muitas multas de estacionamento. Quando agarrei neste jogo pensava em combater o crime e correr atrás dos mauzões, mas acabei na rua a passar multas. O percurso até conseguir um carro patrulha é duro, dei por mim a fazer a caça à multa e a multar tudo o que me aparece à frente. 

Que tipo de polícia serás?

Imagem Gameplay Police PatrolO Police Simulator permite que o jogador pare e reviste qualquer pessoa, embora não seja aconselhável a menos que haja suspeita razoável, e o jogador até pode prender as pessoas por crimes menores, como lixo e transgressão. Esses crimes menores ocuparam grande parte das primeiras horas de jogo.

A progressão do jogo é bloqueada por pontos, temos de ganhar esses pontos para subir o nível do nosso polícia. Quanto mais faz, mais pontos ganha consequentemente sobe de nível mais rápido. Subir de nível faz com que o nosso dia a dia fique mais preenchido, desbloqueando novas áreas da cidade para trabalhar, bem como novos crimes para enfrentar e até mesmo atender a chamadas de emergência.

Mas não fiquem muito animados, não há grandes tiroteios, ou pelo menos não entrei em nenhum. Eu puxei meu taser e apontei a algumas pessoas, cheguei mesmo a disparar contra uma ou outra, e até disparei a arma de serviço contra um civil desarmado, só para ver o que aconteceria. Mas não vale a pena, o jogador perde o jogo e tem de voltar ao início do dia de trabalho e perde todos os pontos que ganhou nesse dia de trabalho.

Imagem Gameplay Police PatrolSe eu tivesse que descrever o jogo numa palavra, seria “repetitivo”. E é, mas não há mal nisso. Os jogos de simulação costumam ser repetitivos. Por exemplo, o meu simulador favorito, American Truck Simulator, esse jogo é tão repetitivo como qualquer outro.

O Police Simulator, talvez seja um pouco repetitivo demais e, ao bloquear um dos recursos mais engraçados do jogo, a condução da viatura, após algumas horas de trabalho para subir de nível, a repetição leva ao esgotamento.

Após a 50ª citação por travessia imprudente, eu estava pronto para atirar na próxima pessoa que ousasse não usar a passadeira para atravessar. Depois de 100 multas de estacionamento, para pessoas que não pagam ao taxista ou que estacionam como idiotas, eu estava pronto para sacar minha arma e atirar nos pneus. Na realidade eu até tentei disparar contra os pneus do meu próprio carro, mas não acontecia nada, esse recurso ainda não estava disponível.

Alguns bugs no Police Simulator

Imagem Gameplay Police PatrolO jogo é obviamente um pouco problemático, mas não tão mau que o jogador perceba. Bem, às vezes é muito perceptível. Como na vez em que atendi a uma chamada sobre um acidente de trânsito e um dos veículos estava bem longe de ter tido um acidente…

Há também o fato estranho de que todas as pessoas têm exatamente a mesma altura, está até mesmo registado nos seus cartões de identificação, e eu vi quase todos os modelos de personagem que o jogo tem neste momento, o conjunto de personagens é pequeno e definitivamente poderia ser expandido. Mas tenho certeza de que isso vai acontecer, nada como uma ou outra atualização para resolver esses pequenos problemas.

A verdade é que por vezes dá vontade de surtar e começar a partir tudo e virar um louco.

E a verdade é que uma ou outra vez eu fiquei louco, é impossível andar tão certinho com tanto para fazer. Corri aquelas ruas e destruí quase tudo no processo. No final, o meu carro avariou e eu estava de volta a Forrest Gumping para iniciar novamente o meu serviço.

Conclusão…

Eu diverti-me imenso a jogar Police Simulator, mas é definitivamente um trabalho em andamento. É um jogo com tudo para dar certo mas creio que precisa de mais conteúdo e uma progressão um pouco mais rápida.

De qualquer das formas, os jogadores vão passar várias horas a divertir-se como agente da autoridade, e espera-se que quando o modo multiplayer chegar o jogo acabe por ficar mais popular.

 

Nota 8/10

Positivo
  • Representa finalmente o dia-a-dia de um polícia (sem a parte da papelada).
  • Interações com NPC’s mostram um grande potencial.
Negativo
  • Progressão muito lenta.
  • O jogador está muito tempo a passar multas.

Um pouco mais sobre o autor…

O Bruno Costa é o editor e supervisor dos conteúdos da Strong Player. É o principal editor que distribui o seu tempo entre criação de notícias, reviews e desenvolvimento de artigos com curiosidades. Gosta de uma variedade de jogos bem extensa mas a sua preferência vai para os jogos de Zombies e para jogos com um modo história envolvente. Adora jogos de ação de mundo aberto com modo multiplayer e o seu preferido é o The Division 2.