REVIEW – Hardspace: Shipbreaker (Steam Early Access)

REVIEW – Hardspace: Shipbreaker (Steam Early Access)

Janeiro 8, 2022 Não Por Perplera

Hardspace: Shipbreaker é um jogo bem diferente de qualquer coisa que alguma vez eu tenha jogado. Digamos que é um simulador mas desta vez coloca-nos no espaço na pele de um sucateiro espacial.

O planeta terra é um local cada vez mais poluído e miserável e os humanos anseiam por poder voar para o espaço e conseguir ganhar fortunas.

Imagem Hardspace: ShipbreakerÉ neste ponto que a nossa personagem decide aceitar o trabalho de desmantelamento de naves espaciais que já não são usadas. Esse emprego é extremamente perigoso e além do mais o treino vai deixar-nos endividados até ao pescoço, obrigando o jogador a trabalhar praticamente de graça durante bastante tempo.

A única forma de sair dessas dívidas e começar a ganhar dinheiro é aprender a desmantelar naves espaciais da forma mais rápida e eficiente possível, sem cometer erros.

A ideia do jogo é desmontar as naves e tentar aproveitar os componentes que ainda possam ser úteis e descartar o restante. Temos de ter muito cuidado com combustíveis e reatores das naves pois podem explodir e danificar peças da nave que ainda possam valer algum dinheiro (afinal de contas ainda temos uma dívida para pagar).

O desmantelamento dá algum dinheiro mas não podemos ignorar o facto de que o desmantelamento destas naves também tem custos. Esses custos vão sair do dinheiro que conseguirmos ganhar com o desmantelamento.

A nossa personagem pode morrer de várias formas, explosões, rupturas do fato, quebra do capacete e muito mais. Mas não faz mal, a nossa personagem será automaticamente substituída por um clone nosso que irá herdar a desgraça da nossa dívida e terá de continuar o trabalho. Temos de ter sempre muito cuidado para não danificar nada que possa colocar o desmantelamento e o ganho de dinheiro em risco.

O título foi desenvolvido pela Blackbird Interactive e publicado pela Focus Home Interactive, e está atualmente disponível para acesso antecipado na Steam.

Jogabilidade…

Imagem Hardspace: ShipbreakerVamos agora falar sobre um dos elementos mais importantes do jogo, a jogabilidade. No modo principal de Hardspace: Shipbreaker, o jogador terá que desmontar várias naves uma após a outra com a ajuda de 3 ferramentas.

Temos uma espécie de gancho magnético, um laser de precisão e um scanner. O primeiro permitirá recolher e mover objetos, o segundo permitirá que o jogador corte superfícies, enquanto que o scanner será usado para identificar os elementos mais importantes e que podem fazer a diferença entre ganhar ou perder dinheiro. Essas serão as únicas ferramentas que terá disponíveis, mas conforme avança, pode acumular pontos que podem ser gastos para atualizar estas ferramentas.

Depois de iniciar a missão, terá 15 minutos para desmontar a nave e inserir as peças necessárias nos pontos apropriados. Tudo isto pode parecer muito simples, mas desmontar uma aeronave peça por peça é realmente cansativo. Em primeiro lugar, terá que aprender a movimentar-se num ambiente sem gravidade onde é muito difícil realizar operações precisas.

Imagem Hardspace: Shipbreaker

Então terá que descobrir como desmantelar uma nave, já que, a menos que seu objetivo seja destruir tudo, o jogador não pode simplesmente começar a cortar as peças de qualquer maneira. Além disso, também terá que lidar com muitos perigos, como falta de oxigênio, explosões, colapsos e muitos outros riscos ambientais.

A jogabilidade do jogo é bastante divertida e desafiadora , mas nos estágios iniciais do jogo pode ser um pouco frustrante com um avanço lento. Não é fácil entender rapidamente como todos os aspectos do jogo funcionam, e o tutorial também não ajuda. As poucas missões de treino apenas explicam o básico e também o fazem de maneira muito aproximada. Isso geralmente leva a que o jogador ande às apalpadelas durante um tempo.

Imagem Hardspace: Shipbreaker

Apesar de a jogabilidade ser divertida, o jogador tem de contar com o facto de o jogo se tornar repetitivo. Acho que a única diferença são mesmo os tipos de nave que temos que desmantelar, estas obrigam-nos a estudar e desmantelar com cuidado pois cada uma delas tem as suas particularidades.

Para desmontar algumas naves, não terá que tomar precauções especiais, mas para muitas outras terá que seguir uma ordem bastante precisa. Por vezes terá que despressurizá-las por dentro primeiro para evitar explosões, outras vezes terá que esvaziar os tanques de combustível para minimizar o risco de incêndio, e ainda outras vezes terá que primeiro remover o forro de proteção da nave desmontando-o através do interior da nave.

Todas essas operações são muito divertidas, mas infelizmente não há muita variedade. No geral, existem poucos tipos de naves espaciais e a maioria partilha os mesmos elementos. Isso é realmente uma grande pena, pois depois de um tempo o jogo vai começar a ficar repetitivo.

Gráficos…

No que diz respeito ao setor gráfico, o jogo não é nada mau e, apesar de ser muito simples, as naves têm uma boa renderização visual e também apresentam alguns detalhes muito bonitos. O HUD, por outro lado, deixa a desejar, especialmente no que diz respeito às descrições de algumas partes das naves que muitas vezes são muito difíceis de ler.

Conclusão…

Imagem Hardspace: ShipbreakerHardspace: Shipbreaker é um título muito bom, mas precisa adicionar mais mecânicas e conteúdo para que a sensação de repetição seja atenuada.

Obviamente, o título ainda tem um longo caminho a percorrer, visto que ainda se encontra em acesso antecipado. Se com o tempo Hardspace: Shipbreaker continuar a adicionar conteúdo e a melhorar, com certeza será capaz de se tornar um título realmente valioso. Hardspace: Shipbreaker está disponível na Steam em Early Access.

Segue todas as notícias do mundo dos videojogos na Strong Player, bem como nas redes sociais FacebookTwitter Instagram.

Nota 7/10

Positivo
  • Simulador diferente.
  • História que liga o jogo.
  • Divertido.
  • Gráficos decentes.
Negativo
  • Com o tempo o jogo torna-se monotono.
  • Tutoriais vazios.

Um pouco mais sobre o autor…

O Bruno Costa é o editor e supervisor dos conteúdos da Strong Player. É o principal editor que distribui o seu tempo entre criação de notícias, reviews e desenvolvimento de artigos com curiosidades. Gosta de uma variedade de jogos bem extensa mas a sua preferência vai para os jogos de Zombies e para jogos com um modo história envolvente. Adora jogos de ação de mundo aberto com modo multiplayer e o seu preferido é o The Division 2.