REVIEW – Harvest Moon: One World

REVIEW – Harvest Moon: One World

Março 31, 2021 Não Por Perplera

Quando pensamos em jogos de quintas ou algo do gênero pensamos logo em Farm Ville, Farming Simulator, Harvest Moon e até mesmo Animal Crossing. Mas este título de Harvest Moon: One World não me parece ter corrido tão bem. Se tivesse de fazer uma descrição rápida eu diria que parece um pouco vazio e pouco atraente.

Mas é estranho terem complicado uma fórmula tão simples como um jogo de quinta virtual, por isso não entendo o que se passou com Harvest Moon: One World.

Mas vamos começar do início de forma a poder explicar tudo direitinho.

História…

Quando falamos de história em Harvest Moon: One World, estamos a falar de algo quase inexistente e depois de nos ter dado uma introdução muito breve nos atira para o meio da quinta de forma abrupta.

Digamos que a deusa das colheitas foi-se e consigo foram todos os vegetais e frutas. Apesar de a terra estar verdejante, os campos de cultivo estão vazios e não é possível extrair nada deles pois não há o que cultivar.

Felizmente existem pequenas fadas espalhadas em locais ocultos que nos vão ajudar dando-nos algumas sementes que nos vão ajudar a cultivar e a criar a nossa quinta.

O jogo conta com seis áreas de jogo distintas onde teremos de concluir a história de cada uma destas áreas de jogo para libertar o espírito das colheitas de cada uma dessas áreas e assim conseguir encontrar a deusa das colheitas. 

O jogo consiste em conseguir entregar aos aldeões os seus pedidos, sejam eles margaridas, grãos de bico ou batatas. Para conseguir fazer estas entregas será preciso encontrar as sementes para poder cultivar. Este é o ponto principal da história, como já não é possível comprar sacos de sementes, teremos de explorar o mundo do jogo de forma a encontrar Harvest Wisps que nos vão dar um único saco de sementes.

Os Harvest Wisps são pequenos pontos azuis brilhantes que estão espalhados pelo mundo e que ao apertar o botão A ao seu lado, aparece um Harvest Wisps todos os dias no mesmo local. A semente que nos entrega é sempre a mesma e esta só pode ser plantada em certos locais e em certas estações do ano. Tal como disse anteriormente, as lojas são inúteis pois não nos podem vender sementes, pelo menos até termos enviado lotes das nossas safras. Assim sendo teremos de plantar e plantar e voltar a plantar, teremos de respeitar os locais onde podemos plantar e as épocas do ano de forma a podermos ter uma boa colheita. teremos de regressar várias vezes aos mesmos locais até conseguir que as lojas possam vender as sementes necessárias. Até lá, as lojas vendem ração para os animais e pouco mais.

A moeda do jogo é quase inútil, digo isto porque para avançar no jogo teremos de despender de parte da nossa colheita para algum pedido. Uma colheita de 10 vegetais pode render um bom dinheiro, mas se precisarmos de 8 vegetais para uma missão as coisas já não são assim tão lucrativas. 

Em relação aos produtos animais (ovos, lã, leite), até são fáceis de obter, mas o jogo não nos dá motivos para interagir, afinal de contas esses produtos não dão lucro. Outro ponto que faz chorar são as receitas, existem receitas a custar 75 mil de ouro, custa tanto uma receita como atualizar totalmente a nossa casa.

Ainda em relação às plantações, tal como disse, cada semente deve ser plantada no local mais adequado, caso contrário a semente plantada pode simplesmente sofrer uma mutação e assim desperdiçamos sementes desnecessariamente.

Imagine, se plantar batatas nas montanhas o que vão acabar por colher serão “Sigelinde”, então convém estar atento pois pode estar apenas a desperdiçar sementes.

Para terem uma pequena ideia, ter um cavalo neste jogo é essencial, caso contrário iremos ter de fazer tudo isto a calcantes. Mas um cavalo custa 15 mil de ouro, ou seja, uma soma bastante elevada e difícil de reunir, mas que os jogadores se vão arrepender a cada segundo por não ter um. O mundo de One World é bastante extenso e cheio de caminhos sinuosos e terrenos baldios. Apesar de o jogo contar com vários locais de teletransporte, o jogador quase sempre terá de caminhar bastante até ao local que necessita chegar. E nem vamos falar de casar com a nossa parceira do jogo, isso custa cerca de 400 mil em ouro, seriam várias vidas a trabalhar para esse casamento e se calhar, trabalho escravo nas minas por vários anos.

Não é que o jogo só tenha coisas negativas, pelo contrário, mas infelizmente as coisas negativas superam as positivas. Sei que vão haver jogadores que vão encontrar coisas positivas e até mesmo algo de que realmente vão gostar, e se assim for eu fico feliz por isso. Mas infelizmente eu não posso dizer que tenha encontrado diversão neste jogo e que me faz querer jogar este jogo mais vezes. Lamento dizer, mas existem jogos do mesmo gênero para smartphone que conseguem dar mais alegria e mais vontade de jogar do que Harvest Moon: One World.

Conclusão…

Existem coisas que ficaram bastante aquém do que se pretendia, o criador do personagem é bastante limitado, restringe os jogadores a alguns tons de pele mais claros e cores de cabelo que incluem verde e amarelo, mas vermelho ou cinza nem vê-los. A seleção de roupas não é a melhor, e desbloquear estas roupas pode levar algum tempo, por vezes até tempo demais.

Vender animais é algo que agora não podemos fazer, a falta de festivais é notória, o número reduzido de lojas e cafés espalhados pela terra, fica a sensação de que esta versão é um produto simplista, demasiado simples para ser verdade.

Por isso, se o jogador procura algo do gênero de Stardew Valley ou Animal Crossing, pode tirar o cavalinho da chuva pois estamos muito longe disso.

Harvest Moon: One World está bem longe de ser uma versão aceitável da franquia Harvest Moon, algo que me deixa triste pois estamos a falar de uma série bem interessante.

Infelizmente devo dizer com toda a sinceridade que pelo preço que este jogo custa poderíamos investir em jogos semelhantes e com mais qualidade como por exemplo, Stardew Valley.

 

Nota 5/10

Positivo
  • Animais do jogo são fofinhos.
Negativo
  • NPCs sem vida, dizem pouquíssimo exceto pedirem uma quantidade de vegetais ou frutas.
  • Caminhos a percorrer demasiado longos sem qualquer necessidade.
  • Tudo muito caro quando é dificílimo ganhar dinheiro.
  • Coletar semente é demasiado lento.
  • Falhas gráficas e de áudio.