REVIEW – Insurgency: Sandstorm

REVIEW – Insurgency: Sandstorm

Outubro 24, 2021 2 Por Perplera

É difícil encontrar um jogo como Insurgency: Sandstorm na PS4 e esse é um de seus pontos fortes. Embora não seja perfeito, ele oferece uma experiência imersiva incomparável em consolas.

Se no PC o cenário é muito diferente, com Arma, Squad ou Post Scriptum, que oferecem simulações táticas para diferentes gostos, quando se pensa em jogos de tiro táticos para consolas é fácil ficar limitado a jogos como Rainbow Six Siege ou Ghost Recon.

Insurgency Sandstorm visa muito mais o realismo dos dois títulos da Ubisoft, mas tem a vantagem de prender o jogador imediatamente na ação, sem ir muito longe na complexidade de implantação tática típica de um jogo do gênero.

Imagem Insurgency SandstormInsurgency: Sandstorm não tem um modo campanha, embora exista um modo de objetivo local com suporte de IA (inteligência artificial). Assim sendo o coração do jogo gira em torno de seus modos multijogador jogáveis ​​tanto no modo cooperativo com uma equipa contra a CPU, como no modo Versus com equipas de 10 jogadores que se enfrentam.

Além de um tutorial não obrigatório, mas que recomendo, de forma a aprender algumas mecânicas importantes do jogo. A New World Interactive apresentou duas facções em conflito, não havendo qualquer tipo de tendências de forma a evitando deslizes num contexto político bastante delicado. 

Assim sendo, tudo se passa numa zona de guerra genérica no Oriente Médio, com cenários que à primeira vista parecerão já vistos em muitos outros jogos de tiro.

Se esteticamente e ao nível de detalhe os ambientes parecem um pouco desatualizados e às vezes também sofrem algumas falhas gráficas, é na disposição dos elementos no mapa e no desenho das áreas de controlo que o título visa estimular a imersão e jogar em equipa.

Pequenos edifícios a serem defendidos em campo aberto, fortalezas semi destruídas com pontos de acesso em vários andares, pontes estreitas atingidas pelo fogo inimigo de múltiplas direções, bombas de areia e fumo que se confundem no avanço ou complexos industriais com corredores que ligam os edifícios para tentar contornar os inimigos.

Existe uma boa variedade de mapas, mesmo que o tipo de objetivos a serem realizados durante uma partida permaneça mais limitado e as partidas possam acabar por ser repetitivas, onde o jogador opta por não confiar na imprevisibilidade humana, acabando por correr riscos desnecessários.

Insurgency: Sandstorm – Jogo em equipa…

Imagem Insurgency Sandstorm

A jogabilidade é dada acima de tudo pelos diferentes papéis que podem ser desempenhados na batalha e pelo amplo arsenal que podemos usar. Começa com uma classe base como o Rifleman, que pode ser personalizada com armas de médio alcance para se combater sem maiores problemas em contextos urbanos e em combate próximo aos objetivos. Quanto mais jogos joga, mais sobe de nível e também pode aceder a outras classes que têm a particularidade de direcionar o loadout para uma configuração específica.

Por exemplo, o Specialist é o perito no uso de metralhadoras e combate CQB por excelência, por isso pode equipar armas compactas e práticas que com o seu fogo rápido permitem eliminar grupos de inimigos.

De guincho a atirador de elite, ele pode mudar muito sua configuração tática com armas e acessórios exclusivos para uma determinada classe. Mais adequado para jogadores agora totalmente familiarizados com a mecânica de Insurgency: Sandstorm são as funções de Observador e Comandante. 

O primeiro está equipado com um Rádio HQ que lhe permite comunicar pedidos de fogo de apoio feitos pelo Comandante que trabalha com binóculos, graças aos quais pode apontar os alvos e selecionar o tipo de fogo de apoio.

A escolha varia entre um helicóptero de assalto, explosivo e artilharia de bomba de fumo ou a intervenção de uma explosão de metralhadora. Estas duas classes estão em contato próximo e também é importante que sejam protegidas pelo grupo quando estiverem prestes a organizar um ataque Aéreo.

O tempo para matar é muito curto, um tiro mata na maioria dos casos, por isso é vital manter a cabeça baixa, prestar atenção à sua volta e avançar com cautela tentando cobrir os pontos cegos junto com seus companheiros.

Nenhuma tolice acrobática como salto de coelho, dropshot, sprints infinitos e quickscopes é assim tão eficaz. O seu personagem tem uma fisicalidade mais massiva, os gestos são mais lentos e a sua velocidade e tempo de reação também são afetados pelo peso que ele está a carregar no momento e quanto vigor já foi consumido.

Imagem Insurgency Sandstorm

Ao escolher as armas, granadas e acessórios para levar para a batalha, devemos ter em mente que uma configuração mais leve nos permitirá sacar a arma mais rápido ou viajar pelo mapa com menos esforço.

Em termos de personalização, existem muitas ópticas que o jogador pode experimentar em armas, mas também existem acessórios para gerir o recuo vertical e horizontal. Cada arma, na verdade, tem um comportamento diferente quando puxamos o gatilho e podemos gerir de forma inteligente os disparos durante o jogo, alternando para diferentes modos de disparo. Mudar de disparo automático para disparo mais controlado com rajadas curtas, para definir o modo de tiro e de tiro único é algo que faremos frequentemente para melhorar o controlo de armas, mas também para economizar balas. 

A contagem de munições não é imediatamente visível, mas pode ser verificada pressionando um botão. Esta escolha minimiza todas as interferências de interface para fins de imersão.

Intimamente relacionado às munições ainda disponíveis está a mecânica de recarga. Existem várias técnicas avançadas que podem ser consideradas ao decidir que tipo de recarga realizar. 

Recarregar um carregador inteiro assim que voltarmos à batalha permite-nos obter uma munição extra, o que num jogo em que um tiro é suficiente para eliminar o inimigo pode ser importante. Recarregar um carregador que ainda contém algumas munições significa que esse carregador não vai ser combinado com os outros para formar um novo carregador como acontece em outros jogos. O jogador pode acabar por recarregar a arma com esses carregadores incompletos tarde. Ao escolher a recarga rápida, todo o pente é descartado e a arma fica pronta mais rapidamente. Quando um carregador está vazio, há uma vantagem real em descartá-lo rapidamente.

Em Insurgency, a personalização extensiva estende-se aos modelos de personagem também. Não vamos ver um detalhe impressionante como em Call of Duty, mas é possível melhorar ambas as unidades esteticamente mudando um grande número de elementos como fardamento, capacetes, mochilas, coletes, luvas e acessórios para o rosto.

A maioria dos itens pode ser desbloqueada com a moeda do jogo, mas os pacotes de skins mais detalhados e exclusivos precisarão ser comprados na PlayStation Network com dinheiro real.

Imagem Insurgency SandstormAs microtransações, entretanto, não são invasivas e estão longe das customizações caóticas e absurdas propostas pelo FPS mais popular do mercado. De qualquer forma, não deixam de ser customizações cosméticas que nada influencia a jogabilidade.

Joguei Insurgency: Sandstorm no PS5 em modo de compatibilidade com versões e a experiência foi muito positiva graças, acima de tudo, ao excelente som que me fez sentir sob pressão. Granadas que explodem e deixam o jogador atordoado com um zumbido nos ouvidos, as vozes dos jogadores nas rádios que se intensificam ou se apagam de acordo com a distância da fonte, os golpes sentidos a poucos centímetros da cabeça e os gritos que os inimigos deram mesmo antes de morrerem deram substância à mecânica mais tática do título.

Durante o teste deste jogo, não encontramos nenhum travamento ou problema técnicos sério que pudesse impedir de jogar ou estraga-se a jogabilidade, com a excepção de uma ou outra curvatura repentina, mas esporádica, com uma queda de FPS não considerada grave e problemas temporários no carregamento de texturas ou partes do corpo de nosso operador. 

Felizmente, ocorreram em momentos em que a ação era tranquila e não estava envolvida em tiroteios, caso contrário, a percepção da experiência teria mudado consideravelmente.

Insurgency: Sandstorm – Conclusão…

Insurgency: Sandstorm é um jogo diferente da grande maioria dos jogos de tiro presentes nas consolas. A alta intensidade das lutas baseadas na jogabilidade tática, onde todo erro é fatal, é elevada pelo jogo de equipa criado em cima de classes e posicionamento cuidadoso no campo. Insurgency: Sandstorm recompensa não apenas as habilidades do indivíduos, mas também a habilidade de coordenar perto de um alvo, isto porque os lobos solitários têm uma vida curta na selva hostil de Insurgency: Sandstorm. Falhas e bugs gráficos podem tornar a experiência mais traumática do que o necessário, mas no geral, por baixo dessa camada excessiva de poeira, há um jogo que irá entreter e envolver quem procura uma experiência longe do FPS enlouquecedor feito de super soldados.

Nota 8/10

Positivo
  • Arsenal desbloqueado imediatamente e personalizável.
  • Diferentes funções em campo para propor diferentes táticas.
  • O som envolve totalmente a ação.
Cons
  • Problemas técnicos podem afetar a experiência.
  • Variedade limitada nos objetivos das missões.

Segue todas as notícias do mundo dos videojogos na Strong Player, bem como nas redes sociais FacebookTwitter Instagram.

Um pouco mais sobre o autor…

O Bruno Costa é o editor e supervisor dos conteúdos da Strong Player. É o principal editor que distribui o seu tempo entre criação de notícias, reviews e desenvolvimento de artigos com curiosidades. Gosta de uma variedade de jogos bem extensa mas a sua preferência vai para os jogos de Zombies e para jogos com um modo história envolvente. Adora jogos de ação de mundo aberto com modo multiplayer e o seu preferido é o The Division 2.