REVIEW – Kinect Rush: A Disney Pixar Adventure 

REVIEW – Kinect Rush: A Disney Pixar Adventure 

Maio 14, 2012 Não Por Perplera

Kinect Rush é um jogo da Disney Pixar que conta com o periférico de movimentos da Xbox 360 para uma melhor experiência de jogo.

Este jogo vem um pouco na linhagem do jogo Disneyland Adventures mas desta vez com aventuras retiradas diretamente das obras animadas da Pixar.

Algumas dessas aventuras são: Os Incríveis, Ratatui, Up, Carros e ToyStory.

Este jogo é direcionado para um público mais novo mas que facilmente se torna divertido até para um adulto, digamos que é um jogo que pode ser considerado familiar.

Apesar de falhar um pouco no que toca no controlo de movimentos mas não é nada que prejudique o jogo. Apesar deste pequeno problema este jogo oferece o melhor de cinco mundos completamente diferentes e com uma variedade de jogabilidade.

Antes de podermos ter momentos de pura diversão, temos de criar o nosso avatar utilizando Kinect.

Após tirar uma fotografia nossa o jogo constrói uma versão animada de cada uma das personagens de cada um dos jogos, temos uma versão de nós em Rato (ratatui), nós explorador (Up), nós brinquedo (Toy Story), nós carro (Carros) e finalmente nós um versão super-herói (Incríveis).

O jogo está dividido em cinco partes para que possa abranger as cinco aventuras dos cinco filmes em questão.

Tal como outros jogos desenhados para a Kinect este não é excepção, é composto por um conjunto de mini-jogos que estão estruturados para que pareça uma aventura única e não cinco aventuras independentes.

Existem vários segmentos independentes que contam uma história em cada um dos níveis que depois se completam com algumas cut-cenes que tornam a história mais coesa.

O ambiente do jogo é muito bom com pessoas a passearem-se pelo parque, os caminhos, a relva e todos os extras que tornam tudo muito mais agradável.

Infelizmente não existe nada que nos leve a explorar os cenários nem algo que incentive a interação, por isso o jogo não é muito mais do que saltar de aventura em aventura.

Mesmo assim, os jogadores devem estar preparados para passar algumas horas em frente a este jogo a completar as missões e os objectivos.

Em grande parte do jogo vamos ter de controlar personagens em ambientes 3D e a mecânica do jogo de atirar, saltar, agarrar e desviar até é divertida mas quando temos de abanar os braços por tempo indefinido para levar um personagem do ponto A até ao ponto B acaba por ser muito frustrante.

Do ponto de vista do design até é algo estranho, no geral as missões são bastante exigentes fisicamente, os cenários têm sempre muitos obstáculos, estamos sempre a saltar, equilibrar, nadar, subir, deslizar, agarrar e atirar objectos, tudo isto, enquanto corremos pelo nível quase sempre a grande velocidade.

Para disfarçar um pouco os problemas de navegação criaram-se níveis amplos e vários caminhos diferentes.

No jogo existe como extra uma seta que nos indica sempre o caminho que devemos levar ou indica-nos o objecto que devemos usar. Se estivermos a perder muito tempo num determinado nível o jogo pergunta-nos se queremos saltar esse nível.

As missões do jogo são muito variadas, tanto podemos estar no quintal à procura de pilhas como podemos estar a combater um robot gigante como um super-herói.

As missões suportam ainda um modo cooperativo que acrescenta ao jogo uma emoção extra.

Ao introduzir algumas mecânicas que necessitam de trabalho em equipa para serem ultrapassadas este jogo só saiu a ganhar.

Durante o jogo vamos também poder jogar lado a lado com figuras célebres como por exemplo, Buzz Lightyear ou o maluco do Lightning McQueen, mas estes são só dois dos muitos exemplos.

Existem ainda umas moedas amarelas que devemos apanhar, essas moedas estão espalhadas pelos cenários, o sistema de pontuação atribui uma medalha mediante a quantidade de moedas que amealharam durante o nível e a velocidade com que terminam o mesmo.

Com a pontuação que nos for atribuída podemos desbloquear novos capítulos da história, de uma coisa podem ter a certeza, adquirir as medalhas de ouro não vai ser pêra doce.

Para que os movimentos em frente ao jogo sejam os adequados vão necessitar de bastante espaço em frente a Kinect, se assim é sozinho imaginem a jogar em modo cooperativo.

No âmbito do estilo musical do jogo as músicas adaptam-se muito bem ao ambiente dos filmes da Pixar mas no que toca aos diálogos digamos que esses são desleixados e repetitivos.

Algo que não correu muito bem é o facto de o jogo ser completamente em Inglês e não dar oportunidade para legendas em Português.

O jogo faz um óptimo trabalho em transmitir a sensação de estar dentro do mundo da Pixar, mas não oferece grande coerência narrativa, vivendo e morrendo num gameplay desgastante, que vai progressivamente perdendo o seu interesse. Ainda assim é uma boa opção se procuram algo para jogar com os miúdos em casa, e uma excelente opção se estes forem fãs dos filmes da Pixar.

 

NOTA: 6/10

Positivo
    Negativo