REVIEW – The Jak and Daxter Trilogy

REVIEW – The Jak and Daxter Trilogy

Agosto 14, 2012 Não Por Perplera

Nos últimos tempos, as produtoras têm apostado em trilogias e compilações de vários jogos da série.

Este tipo de abordagens fazem-nos geralmente recordar os bons momentos que já passamos em frente à nossa consola a jogar determinados títulos. E para aqueles que nunca jogaram os títulos de determinados jogos têm com estas compilações a oportunidade de jogar vários títulos e conhecer a história de determinado jogo de uma vez só.

Todos temos em ideia que o primeiro jogo de Jak e daxter era muito infantil e que se desenquadrar totalmente dos restantes jogos da série. Ora a trilogia veio dar-nos uma vertente alternativa bem diferente da inicial, digamos que é como entrar numa realidade paralela. Jogá-lo todos estes anos depois é o realizar de que a Naughty Dog acertou com a série desde o seu verdadeiro início; e em tantos aspectos diferentes.

Algo que realmente me surpreendeu foi a jogabilidade altamente divertida, repleta de animações tão bem conseguidas neste primeiro jogo, quanto viriam a estar no último.

Os dois personagens funcionam de forma extraordinária enquanto dupla e não é só nas animações, já que mesmo os diálogos divertidos – essencialmente por parte de Daxter – estão lá desde o primeiro jogo.

As diversas zonas conseguem juntar a quantidade necessária de originalidade com o desafio suficiente para torná-lo sempre um jogo bastante divertido. Sem que o enredo seja algo de muito complicado, conta com os seus twists, capazes de deixar o jogador interessado. É simples, mas eficaz. E porque o jogador é sempre convidado a progredir tendo por base o objectivo seguinte, não faltarão motivos para voltar por mais. Tem diversos tipos de exploração, zonas distintas e ainda introduz os veículos da forma que viriam a ser explorados mais tarde.

O ciclo dia/noite, já aqui inserido, confere a todos os níveis uma natureza única e um verdadeiro sentido de progressão e continuidade. E, em última instância, trata mesmo um mundo aberto, pois todas as zonas do jogo estão ligadas entre si. Não existe, porém, uma estrutura evidenciada num estilo sandbox, que surge no segundo jogo com mais força, ainda que com uma falsa apropriação do termo, já que mesmo nesse muitas das zonas a explorar aparecem na periferia da cidade principal.

O que o segundo jogo traz é desde logo uma imagem mais adulta, que chega materializada de diversas formas. Jak aparece mais velho, com um misterioso lado negro e numa cidade com um clima tenso e instável. Desde logo podemos apontar diferenças até na jogabilidade, onde são introduzidas as armas; mas também nos níveis, em que a progressão se dá de uma forma mais desafiante. Será sem dúvida o mais difícil da série.

Em certa altura a exploração dos cenários perde a importância dando lugar às recompensas de combate.

O primeiro jogo é considerado um jogo de plataformas, já o segundo jogo pode ser considerado um jogo de ação, certo que é mais cinemático e recorre mais vezes a cutscenes e diálogos entre as várias personagens.

Um dos pontos mais fortes de Jak and daxter II é o facto de ser muito rico em personagens e de estas estarem muito ligadas entre elas.

O enredo leva Jak and Daxter a tentar travar a operação do barão Praxis e traz desde logo uma série de possibilidades.

Este jogo passa muito pela comunicação entre personagens o que leva Jak a deslocar-se pela cidade ajudando os habitantes com recados ou missões.

A cidade deste jogo já é em modo aberto, ou seja, podemos explorar a cidade com diversas zonas integradas e diversos tipos de eventos como por exemplo corridas ou tiros.

Ainda nesta segunda série notam-se grandes melhorias a nível gráfico e esses são pontos que se notam mais nas animações das personagens durante os diálogos.

Em Jak3 vamos prosseguir com o que foi começado no segundo jogo da série, vamos mais uma vez estar perante um jogo de ação e os tiroteios voltam em grande estilo. Os veículos também estão de volta mas desta vez são substituídos por bugs com os quais vamos percorrer toda a Wasteland com grandes corridas e batalhas. O funcionamento dos veículos é muito interessante pois são muito divertidos de se controlar e cada veículo conta com uma série de habilidades para cada uma das tarefas que nos é atribuída.

Este jogo não foge muito do que pudemos ver no segundo jogo da série, quer no mundo aberto à exploração quer na forma como cada missão é introduzida no jogo.

Mas o enredo é sem dúvida um dos pontos em que o jogo brilha, entre novas habilidades das personagens e situações que raramente deixam de ser interessantes, este jogo mostra-nos um pouco mais das vivências da nossa personagem.

 

O terceiro jogo acabou por ser o jogo que melhor aproveitou a evolução gráfica da Playstation 2 e por consequência o jogo que acabou por tirar maior partido da transição de consolas.

Mesmo assim o aspecto conseguido fazer inveja a muitos jogos da actual geração, mostra-nos que nem sempre a geração actual é melhor do que a anterior, por vezes a evolução acaba por não ser benéfica, mas só em certos jogos.

Um dos maiores defeitos do jogo estava nas câmaras, estas estavam definidas por defeito como invertidas, era possível modificar mas mesmo que o fizéssemos a câmara no modo zoom nunca funcionaria de um modo decente, a excepção do último jogo é claro. E mesmo em jogo, ocasionais problemas com a câmara poderão surgir em zonas apertadas, pois estas têm um funcionamento por vezes desenquadrado para os padrões atuais.

 

Mesmo assim o trabalho feito por esta equipa merece o nosso respeito e pode dizer-se que é notável, é certo que algumas coisas podiam ter sido modificadas e corrigidas, como já dissemos as câmaras era um ponto a resolver, mas se o objetivo era captar toda a essência da série Jak sem alterar aquilo que haviam sido os originais jogos, então tiro o meu chapéu.

Esta trilogia funcionou muito bem e podemos dizer que o conjunto traz a esta seria uma verdadeira aventura e demonstra a evolução da produtora de um título para o outro.

Esta é uma colecção a não perder não só para os fãs mas também para aqueles que nunca jogaram e que podem descobrir um novo mundo de videojogos de aventura.

A pergunta que não quer calar é a seguinte: Onde para esta dupla de sucesso?

Este é um jogo a não perder, aventura, ação tudo num só jogo.

 

NOTA: 8/10

Positivo
    Negativo